domingo, 29 de agosto de 2010

I will try to Fix You.

Já todos dissemos: "Tive um dia horrível", quando o pior que nos aconteceu foi estarmos parados no trânsito durante meia hora. Egoístas, fúteis, mesquinhos e ingénuos. Não estamos preparados para a vida, não sabemos o que é sofrer.

A espera pareceu interminável naquela sala fria onde me encontrava. As notícias que passavam na televisão solitária a quem ninguém prestava atenção, pareciam banais. Vazias de significado, comparadas com os sentimentos que se emaranhavam no ar.
Tinhas entrado apenas há alguns minutos, que a mim, pareciam milénios. Queria saber como estavas, o que tinha acontecido, e, sobretudo, como ias ficar. O relógio parecia teimar comigo, não se querendo mexer. Aquele tique-taque batia lento demais para o meu ritmo cardíaco. Tão lento, que fazia parecer o meu coração uma bomba-relógio prestes a rebentar.
Acordara a gritos trespassantes, que me fizeram despertar de modo alarmado. Toda a minha pressa foi pouca para percorrer os parcos metros que nos separavam; eram a linha ténue entre o continuar ou não. O meu cérebro não assimilava as imagens que a minha íris recebia. Não podia estar a acontecer, não a ti, não naquela altura. Pasmei perante todo aquele turbilhão de acontecimentos. Por segundos, vi a vida querer fugir-te dos olhos. Vi o teu mundo querer acabar depressa demais, o que me aterrorizou. Esmagou-me a alma. Não houve tempo para o choque. A força do momento teve que se sobrepôr à aflição feita sentir.
Em alturas assim, a coragem frui-nos do amor.
O medo do que pode acontecer a alguém que amamos, mexe connosco de uma forma indiscritível.
Mas está tudo bem agora. Eu amo-te.

Eram agora 12:00h. O dia ainda mal tinha começado, e já tinha vivido de sobra por um ano.
Mas estava expectante de te ver, ansioso e feliz por saber como te ia encontrar. Não o mesmo acontecimento, não o mesmo local, não a mesma pessoa. Desta vez, dominava a felicidade.
Vi-te através daqueles muros gradeados, em que acenavas com os olhos banhados de lágrimas. Aquele portão não era suficiente para conter o elo que nos ligava a todos. Entrámos com a fúria de quem realmente ama. O teu abraço e os teus beijos, souberam a Mundo. Nunca te sentira assim, nunca gostara tanto de te reencontrar.
A árdua tarefa que tens pela frente, faz-te relembrar todas as noites daqueles que te querem bem e te apoiam incondicionalmente. A cumplicidade feita sentir, foi mais que muita. E eu nunca me vou esquecer daquele teu sorriso, do toque da tua mão e do carinho do teu beijo. Estou contigo de corpo e alma.

A vida não é como nós queremos. A vida não é como desejamos. A vida constrói-se, vive-se, aprende-se e sente-se. Desde que tenhamos quem amamos do nosso lado, esta é perfeita.



Johnny*


Para a C. que espero que leia isto brevemente, e para a M. que aprenda a ler brevemente para que possa compreender o que aqui está. Amo-vos.

5 comentários:

  1. WOOW *.*

    sem Palavras, Johnny .

    gostei +.+

    ResponderEliminar
  2. Não sei ao certo o que se passa, mas quero que saibas que eu estou aqui contigo, sou mais uma pessoa que te ama e que está do teu lado =)
    beijissimo

    ResponderEliminar
  3. gostei...acho que isto, tal como disseste, ajuda-nos a 'crescer' e a definirmos ou a redefinirmos a nossa escala de valores

    ResponderEliminar
  4. Oh Johnny, Só agora vi o teu comentario sobre a musica :o

    bem , chama-se: Gotten(ft. Adam Levine)-Slash

    ResponderEliminar